04
Outubro
2017

Confirmado: governo de SE realiza concurso para Magistério com remuneração inicial de R$ 3.200,00

O último concurso para o Magistério de Sergipe ocorreu no ano de 2012. De lá pra cá, há uma expectativa para se cobrir cerca de 2 mil professores em todo o Estado, número referente aos profissionais aposentados nesse período. De acordo com o secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, está sendo feita uma análise das demandas de 359 escolas da capital e interior. “Ano passado, foram cerca de 900 docentes aposentados. Já em 2017, espera-se mais de mil. O concurso é justamente para suprir essas necessidades. E estamos apurando a quantidade de vagas e áreas disponíveis. A nossa próxima etapa é a formação da comissão organizadora”, disse Carvalho.

O anúncio deste concurso com previsão de publicação de edital para no máximo, início de 2018, deixa professores que tem o sonho de fazer parte da rede estadual animados. Isso porque, atualmente, o piso nacional do magistério é de R$2.298,00. Em Sergipe, os profissionais recebem, além da remuneração, gratificações como regência de classe (40%) e possibilidade de interiorização. “No Estado de Sergipe, quem começa a trabalhar na carreira docente não ganha menos de R$ 3.200,00”, disse Carvalho.

O que deve cair na prova?

No último concurso em 2012, a banca examinadora foi a FUNCAB. Os conhecimentos básicos exigidos foram: Língua Portuguesa, História de Sergipe, Geografia de Sergipe, Atualidades/Conhecimentos Gerais de Sergipe, Conhecimentos Gerais sobre Educação e Redação. A quantidade assuntos para se estudar é imensa. Por isso, o quanto antes você se preparar, melhor!

Os primeiros colocados

Silvânio Freitas Dória fez o concurso do Magistério Sergipe em 2012. Ele foi aprovado em 2º lugar, concorrendo para as vagas de Geografia. A preparação dele foi como a grande maioria faz hoje devido a falta de tempo de assistir aulas presenciais. Ele se matriculou em um curso online com videoaulas e materiais em PDF. “As aulas dos professores foram preponderantes. Todos os professores são muito bons. Não esqueço, nem nunca esquecerei, da força de todos, sem exceção, no meu êxito no concurso”, declara.

Adilson Nobre também foi um dos aprovados daquele ano. Assim como Silvânio, optou por estudar no modelo online por falta de tempo. “O modelo do curso online é muito bom, pois proporciona as pessoas que trabalham como eu, estudarem em horários alternativos, sem contar que suas videoaulas são muito produtivas”.

Autor: Equipe JC
Em: 04/10/2017 17:48
Visualizações: 1102

Comentários